El uso de la tecnología por una información pública

contribución de la ley de Transparencia Pública en la comunicación con los ciudadanos en Brasil

  • Alessandra de Castilho Universidad Metodista de São Paulo
  • Roberto Gondo Macedo POLITICOM
Palabras clave: Democracia, Transparencia pública, tecnología, ciudadanos, información

Resumen

En un contexto contemporáneo, las tecnologías de la información deben ser direccionadas para el fortalecimiento de los canales de comunicación. En un análisis público, hay también una responsabilidad mayor de promover servicios públicos y gubernamentales de modo veloz y con gran transparencia para los ciudadanos. El objetivo de la ponencia es describir cómo la ley de Transparencia Pública es contributiva para la comunicación pública brasileña, con fuertes bases tecnológicas.

Biografía del autor/a

Alessandra de Castilho, Universidad Metodista de São Paulo

Maestría (en desarrollo) en Comunicación Social y Jefe de la Asesoría de Comunicación de la Universidad Federal do ABC.

Roberto Gondo Macedo, POLITICOM

Doctor en Comunicación Social. Presidente de la Sociedad Brasileña de los investigadores de comunicación y marketing político.

Citas

Albagli, S; Maciel, M. l. (2007). Informação e desenvolvimento: conhecimento, inovação e apropriação social. Brasilia: Ibcit.

Baccin, C. (2005). Todos somos mestizos. Em. Melo, J. M; Tarsitano, P; Gobbi, M. C.; Sathler, L. Sociedade do conhecimento: aportes latino-americanos. São Bernardo do Campo: Metodista, Cátedra Unesco.

Barbosa, G. & Rabaça, C. (1987). Dicionário de comunicação. São Paulo: Ática.

Baxandall, P. e Magnuson, B. (2008). Transparency.Gov. 2.0: Using The Internet For Budget Transparency To Increase Acconstability, Efficiency and Taxpayer Confidence. Boston: Masspirg Educational Fund.

Castells, M. (1999). Sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra.

Coelho, F. D. (2011). A cidade digital e a apropriação social da inovação tecnológica. Em Wilson, G; Maia, R e Marques, F. P. J. Internet e Participação Política no Brasil. Porto Alegre: Sulina.

Duarte, J. (2007). Comunicação Pública. São Paulo: Atlas, 2007. Recuperado de 17 de novembro de 2012, de http://www.jforni.jor.br/forni/files/comp%c3%bablicajduartevf.pdf.

Gomes, W (2011). Para Que Participação Online?. Em Wilson, G; Maia, R e Marques, F. P. J. Internet e Par- ticipação Política no Brasil. Porto Alegre: Sulina. Informação. (2012). Lei completa seis meses e tem pesquisa de satisfação. Recuperado de 13 de feve- reiro de 2013, de .

Inovaçao, concurso. (2013) 5o lugar - portal da transparência. Recuperado de 14 de fevereiro de 2013, de http://inovacao.enap.gov.br/index.php.option=com_docman&task=doc_view&gi

Kunsch, M. K.(2010) <>, palestra apresentada no seminário de comunicação dos tribunais de contas do brasil. Tocantins.

Kunch, M. K. (org.). (2011). Comunicação pública, sociedade e cidadania. São Caetano do Sul: Difusão.
Maia, R. C. M. (2011). Internet e esfera civil: Limites e alcances da participação política. Em Wilson, G; Maia, R e Marques, F. P. J. Internet e Participação Política no Brasil. Porto Alegre: Sulina.

Meijer, A. (2009). Understanding Modern Transparency. International Review of Administrative Scien- ces, edition 75.

Melo, J. M.. (2002). A muralha digital: desafios brasileiros para construir uma sociedade do conheci- mento. Em Brittes, J;Peruzzo, C. K. (org.). Sociedade da informação e novas mídias: participação ou exclusão?. São Paulo: Intercom.

Novelli, Ana Lucia.(2006). O papel institucional da comunicação pública para o sucesso da governança. Em Organicom, Revista Brasileira de Comunicação Organizacional e Relações Públicas. São Paulo: USP.

Oliver, R. (2004). What is Transparency?. New York: McGraw-Hill.

Planalto. Site oficial do. (2013). Lei no 12.527, de 18 de novembro de 2011. Recuperado de 28 de janeiro de 2013, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/lei/l12527.htm.

Ribeiro, L. (2001). Comunicação, cultura e cidadania no Brasil. Em Comunicação e espaço público. Bra- sília: UnB . Silva, D. B. (2010). Transparência na esfera pública interconectada e dados governamentais abertos. Em Silveira, S. A. (org.). Cidadania e Redes Digitais. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil.

Takahashi, T. (org.). (2000) Sociedade da informação no Brasil: Livro Verde. Brasília, DF: ministério da ciência e tecnologia, Recuperado de 02 de fevereiro de 2013, de http://www.mct.gov.br/index.php/ content/view/18878.html.

Transparencia, portal da. (2013).Hage: Lei de acesso à informação completa um ano com “êxito inques- tionável”. Recuperado de 29 de setembro de 2013, de http://www.acessoainformacao.gov.br/acessoa- informacaogov/noticias/0062013.asp.

Vieira, L. (2001). Os argonautas da cidadania. Rio de Janeiro: Record. Wurman, R. S.. (2005). Ansiedade da Informação. São Paulo: Editora de Cultura.
Publicado
2015-10-31
Cómo citar
Castilho, A., & Macedo, R. (2015). El uso de la tecnología por una información pública. TecCom Studies, (6), 34-42. Recuperado a partir de http://www.teccomstudies.com/index.php?journal=teccomstudies&page=article&op=view&path[]=5